quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Glaciares

Conceito de Glaciar
Um glaciar corresponde a uma extensa massa de gelo permanente, a qual pode ocupar grandes extensões como acontece na Antárctida e na Gronelândia, ou ser de menores dimensões como as calotes em superfícies montanhosas ou as línguas glaciares que deslizam lentamente pelas montanhas. A deslocação lenta dos glaciares é provocada pela gravidade, provocando uma acção erosiva (erosão glaciar) sobre a superfície da Terra.
O recuo de numerosos glaciares em todo o mundo é um dos principais sintomas do fenómeno do aquecimento global.


exemplo de um grande glaciar:

Glaciar Upsala 


O Glaciar Upsala é um grande glaciar que cobre um vale composto e alimentado por vários glaciares, no Parque Nacional Los Glaciares, Argentina. O seu nome deve-se ao facto da Universidade de Uppsala (antiga ortografia: Upsala), da Suécia, ter realizado o primeiro levantamento da região no século XX.
Os seus campos de gelo cobrem uma extensão de 870 km². O glaciar possui uma extensão de 60 km (sendo o segundo mais largo da América do Sul), perdendo apenas para o Pio XI por 10 km, e as suas paredes alcançam uma altura entre 60 e 80 metros.
Flui desde o Campo de gelo do sul da Patagónia, o qual também dá origem ao Glaciar Perito Moreno que se encontra na mesma área, até o Lago Argentino. O glaciar Upsala  encontra-se em retrocessso, que pode ser uma evidência de ciclos climticos e geológicos desconhecidos ou de aquecimento global.




quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Trabalho-periodo paleontológico

Neste post podem observar o nosso trabalho referente ao Período Pérmico que foi desenvolvido no âmbito das aulas de Geologia.

video

Reflexão:
Neste post colocamos o vídeo referente ao nosso trabalho relativo ao período geológico que nos foi designado.
Na nossa opinião está bem resumido e com uma boa apresentação e no caso de quererem saber algo mais relativo a este período peçam pois temos bastante informação que não foi aqui colocada para não se tornar entediante.

Esboço Topográfico

Nas ultimas aulas práticas de geologia utilizamos o programa INKSCAPE para fazermos o nosso próprio esboço topográfico de uma dada região. Com este programa foi nos possivel desenhar um esboço com linhas bem definidas e é um programa fácil de utilizar.


Reflexão:
Este tópico foi criado por sugestão do professor e como podem observar pelos resultados não nos saimos nada mal.
Estes são apenas dois exemplos da enorme quantidade de esboços que podemos fazer utilizando este programa(INKSCAPE).
Foi bastante proveitoso a reaçização deste post e de todos os elementos que o contem.
Esperamos vir a ter de realizar mais trabalhos com este programa.

Geo-história

Diacronia – isto é, no decurso de uma passagem pelo homem no tempo foi portanto um passo e no Espaço. As ações e transformações que afetam aquela vida humana quechats
A idéia de “estudo”, que aparece em ambas as definições, aliás, é
particularmente sintomática, e assinala um momento no século XIX em que a história
passa a ser considerada uma Ciência – uma ciência interpretativa, com seus métodos
próprios e abordagens teóricas, e que deve se processar sob o métier de um novo tipo
de estudioso e especialista que é o Historiador (no sentido acadêmico). O Historiador
– no sentido moderno, e não no antigo – era a partir daqui esta figura de conhecimento
que, no século XVIII, estivera ainda inserida embrionariamente dentro da polivalência
do Filósofo de tipo iluminista como uma de suas inúmeras facetas (Voltaire, David
Hume, Montesquieu e muitos outros filósofos escreveram eventualmente obras de
História, ao mesmo tempo em que elaboravam ensaios voltados para a reflexão
metafísica, para a estética, para a política, ou para a epistemologia).
Antes de se tornar “estudo”, a História fora muitas coisas, inclusive algo
que – de maneira igualmente óbvia para os homens de outro tempo – definira-se como
o “registro do Passado Humano”. A passagem do mero “registro” ao “estudo” é , como
se disse, particularmente sintomática; mas por hora retornemos ao que há de
propriamente distintivo em definir a História como “estudo do Passado Humano” ou como “Estudo do Homem no Tempo”.
Quando se diz que “a História é o estudo do homem no tempo”, rompe-se
com a idéia de que a História deve examinar apenas e necessariamente o Passado. O
que ela estuda na verdade são as ações e transformações humanas (ou
permanências) que se desenvolvem ou se estabelecem em um determinado período
de tempo, mais longo ou mais curto. Tem-se aqui o estudo de certos processos que se
referem à vida humana numa
tempo – ou que se relacionam de outras maneiras, mas sempre muito intensamente.
Fonte:http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/geografia/article/view/4627/6839



Reflexão:
Este tópico abrange a maioria da matéria dada recentemente nas aulas de Geologia e como tal merece um maior relevo no nosso blogue dai a nossa "longa" apresentação neste tópico.
A fonte parece bastante razoável e como tal e para não tornar o blogue maçador aconselhamos aos interessados a visitar a fonte para continuar um bom estudo acerca deste tópico.

A história geológica de uma região

O levantamento geológico é um aspecto essencial da geologia de uma dada região, estabelecendo uma fonte de informação necessária e valiosa que pode ser utilizada como recurso nas actividades humanas, por exemplo o conhecimento dos materias geológicos de uma dada região pode ser necessária na determinação de regras para ocupação antrópica desse local, promovendo um efectivo ordenamento do território ou no planeamento da exploração de determinados recurso lá localizados.
A cartografia permite que numa apresentação no plano sejam disponibilizadas informações sobre o relevo (o que existe acima da superficie topográfica), mas também informações sobre os materias que estão debaixo da mesma.
A cartografia geológica é um elemento essencial para a investigação num geólogo, mostrando a distribuição de diferentes rochas e indicando a localização de certos elementos anomalos, bem como estruturas geológicas em profundidade.

      Reflexão:
Este tópico permite compreender melhor qual a importância que a história geológica de uma dada região pode ter no estudo mais aproundado que lá queiramos fazer. Nele referimos o que a cartografia permite e o que ela contem acerca da região em estudo.

Cartografia Geológica

Com a cartografia geológica podemos compreender o conjunto de acontecimentos que ocorreram numa dada região ao longo do tempo. Uma carta geológica é um documento onde estão resumidas informações referentes aos materiais rochosos e aos fenómenos geológicos que ocorrem na região em que a carta abrange.
Desta forma, a carta geológica de uma dada região é indispensável a um geólogo para o conhecimento detalhado de uma dada região, ou até um guia para um turista que visita uma nova região.
Além das carta geológicas mais conhecidas, existem mais tipos de cartas geológicas, chamadas as cartas temáticas que abranguem diferentes assuntos, como, as águas subterrâneas (cartas hidrológicas), a estabilidade e a resistência de terrenos (cartas geotécnicas), os jazigos minerais (cartas minerais), a deformação da crusta (cartas tectónicas), o tipo de solos (cartas pedológicas), e ainda muitas outras.
Deste modo a carta geológica não é só indispensável ao geólogo, mas também é indispensável para outros domínios científicos como o da industria petrolífera, engenharia civil, hidrologia, agronomia, ambientação e protecção civil.


Reflexão:
Com a cartografia geológica podemos compreender o conjunto de acontecimentos que ocorreram numa dada região ao longo do tempo.  A carta geológica de uma dada região é indispensável a um geólogo para o conhecimento detalhado de uma dada região, ou até um guia para um turista que visita uma nova região.
Deste modo a carta geológica não é só indispensável ao geólogo, mas também é indispensável para outros domínios científicos como o da industria petrolífera, engenharia civil, hidrologia, agronomia, ambientação e protecção civil.